sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Jornal Sem Fronteiras comemora seus 3 anos em Blumenau



3 Anos do Jornal Sem Fronteiras
A Cultura de forma ativa, prestigiando Blumenau

“A vida é a arte do encontro.”
(Vinícius de Moraes)

No próximo mês de março, a Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras - composta do Jornal Sem Fronteiras, do Portal Sem Fronteiras, da Editora Rede Sem Fronteiras, da Fanpage Rede Sem Fronteiras, da Mala Direta On-line Sem Fronteiras e do Programa de TV-Web Sem Fronteiras, todos desenvolvidos para a promoção e divulgação da Cultura Brasileira em todo o território nacional brasileiro e para leitores de língua portuguesa em 26 países do mundo, nos cinco continentes - estará em Blumenau com uma caravana de 200 convidados, composta por escritores, artistas plásticos e músicos. Os participantes virão de 49 cidades (19 estados brasileiros), além de 8 países.

O motivo deste encontro em Blumenau é que o Jornal Sem Fronteiras completa 3 anos esse bimestre, presente nas principais capitais do país, através dos seus colunistas, Galerias de Artes, Museus, Bibliotecas, Associações, Academias, Eventos Culturais, etc. E, no exterior, em inúmeros eventos culturais de brasileiros residentes no exterior (Feiras Literárias, Exposições de Artes, Lançamentos Literários, etc.) e, também, através dos seus representantes internacionais (sob amostragem), em 26 países, nos cinco continentes.

Um produto impresso com qualidade e uma versão on-line a cada dia mais integrada aos desafios dos novos tempos, uma vez que conta com Portal dinâmico e moderno.

A comemoração de 1 ano do Jornal Sem Fronteiras aconteceu em grande estilo na Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro. No 2º ano, a comemoração ultrapassou fronteiras e aconteceu na romântica cidade de Veneza, na Itália. Os dois anos contaram com uma programação cultural intensa e a presença de várias autoridades, fazendo, desse evento, um já tradicional encontro anual de sucesso. 

Em 2016, ao completar 3 anos, a comemoração acontecerá na bela cidade de Blumenau, em Santa Catarina, durante os dias 17, 18, 19 e 20 de março. 

Conhecida como a “Pequena Alemanha”, Blumenau possui características germânicas. É uma cidade turística, conhecida nacionalmente por sediar a maior festa alemã realizada no Brasil, a Oktoberfest. Um lugar famoso por sua cultura e suas tradições folclóricas, trazidas por seus colonizadores. 

É importante ressaltar que é com muita honra para a Equipe que todos serão recepcionados pelos Colunistas Anfitriões JC. Bridon e Arlete Trentini, filhos ilustres de Santa Catarina e os primeiros colunistas da publicação. Além disso, a comissão organizadora providenciou um forte e detalhado esquema para o atendimento dos 200 participantes, pensando em cada detalhe com competência e carinho para recebê-los.

Na ocasião, será realizada uma programação cultural composta por
  •     Festa de Gala de Aniversário no Castelo Suíço com cerimônia de Premiação e homenagens;
  •     Visita oficial à Biblioteca Municipal Fritz Müller, para a doação de 700 livros, com a presença de 150 escritores;
  •     Sarau Sem Fronteiras no Salão de Convenções do Hotel Plaza, com uma série de atividades culturais, como palestras literárias, oficinas de artes, lançamento literário etc.;
  •     Cerimônia do Concurso e Lançamento da Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... no belo Teatro Carlos Gomes;
  •     Passeios culturais por Blumenau e Florianópolis, além de almoços e jantares de confraternização. 
É importante ressaltar que todos os eventos necessitam de credenciamento prévio.

É esperado que se possa fazer um belo intercâmbio cultural, uma vez que o evento irá receber apoio da Fundação Cultural de Blumenau.

Na oportunidade, acontecerá também a Reunião Anual de Colunistas, na Cidade de Gaspar, onde a equipe se reunirá um dia antes da programação começar, para a avaliação do ano e para traçarem metas de trabalho e superação para o ano seguinte.

A Editora-chefe do Jornal Sem Fronteiras e organizadora geral do evento, Dyandreia Portugal, comenta: “A cultura também transcende fronteiras, fazendo as pessoas perceberem o mundo que as cerca e as faz dialogar entre si. Precisamos partilhar nosso conteúdo, enriquecê-lo na diversidade. Descobrir que, no fundo, temos em comum muito mais do que imaginamos. E é exatamente isso que propusemos aqui neste projeto, na bela cidade de Blumenau.”


APOIO CULTURAL:
AnaDê Festas & Lembranças; Buffet Blumenau; Castelo Suíço; Fundação Cultural de Blumenau; ONG Madalena’s - Suíça; Regina Decorações
CRW – Tecnologia em Eventos; UBE-RJ


MAIS INFORMAÇÕES:
www.redesemfronteiras.com.br
www.editoraredesemfronteiras.com.br



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

4º Festcine - Festival de Cinema de Pinhais




O Festival de Cinema Curta Pinhais 
está com inscrições abertas até 14 de março

A Prefeitura de Pinhais, por meio do Departamento de Cultura, da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, abriu as inscrições para a quarta edição do Festival de Cinema Curta Pinhais (FESTCINE). Os interessados devem se inscrever até o dia 14 de março no site da Prefeitura (link  http://goo.gl/XyaQ4f), onde também pode ser acessado o regulamento e documentos para inscrição.

As sessões do Festival serão gratuitas e exibidas no Auditório Municipal Márcio José Moro, no Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann, entre os dias 11 e 15 de abril. O FESTCINE reúne produções profissionais e amadoras, em apresentações de curtas e longas-metragens de qualquer gênero, além de clipes musicais.

O festival é dividido em cinco categorias concorrentes: Longa-metragem, Curta-metragem de Ficção, Curta-metragem de Documentário, Clipe musical e Curta-metragem realizado por estudantes a partir de câmera de celular.

Sobre o Festival
O FESTCINE surgiu das Mostras de Curtas-metragens Independentes realizadas na cidade entre os anos de 2011 e 2012. Em 2013, pela primeira vez em formato competitivo, o festival teve 46 produções inscritas, com duração total de seis dias e oferecendo uma programação variada, composta de filmes competitivos e exibições infantis – na maioria, animações. Também contou com  a Mostra Casos e Causos, da RPC, e com as reproduções dos trabalhos da Oficina de Cinema de Pinhais (OCP).
Em 2015 o festival contou com mais de 60 produções inscritas, vindas de 13 estados brasileiros, sendo selecionados 33 para exibição além de uma mostra paralela com filmes produzidos pela Oficina de Cinema de Pinhais, e também com a Palestra “Produção de Filmes Independentes – Como trabalhar com baixo orçamento”, ministrada por Guata Maftum, Nicholas Maftum e Ruy Marques, da Arquiteto Produções.
A partir do ano passado o nosso troféu recebeu o nome de MACUQUINHO DOURADO, em homenagem ao “Macuquinho da Várzea”, ave cuja espécie está ameaçada de extinção e é encontrada em apenas três regiões do nosso Estado, sendo uma delas a cidade de Pinhais, às margens do Rio Iraí.
O festival já se constitui como Lei Municipal (Lei n◦ 1531 de 16/5/2014).

Serviço


As inscrições para o IV FESTCINE devem ser realizadas no site (www.pinhais.pr.gov.br), até o dia 14 de março. Mais informações pelo e-mail: festcinepinhais@gmail.com  ou pelos telefones (41) 3912-5247 ou (41) 3912-5253.


Coral Vozes da Babitonga















Coral Vozes da Babitonga, de Itapoá, reinicia seus trabalhos

Na noite desta sexta-feira, dia 12 de fevereiro, foram reiniciadas as atividades do Coral Vozes da Babitonga, sendo realizados os primeiros ensaios do grupo neste ano de 2016.
Na Casa da Cultura de Itapoá, onde as aulas ocorrem, 30 candidatos participaram do processo seletivo 2016 para novos coralistas, sendo que os 19 aprovados (15 mulheres e 04 homens) foram incorporados ao Coral já nesse primeiro ensaio do ano. Agora, são 59 integrantes a participar das aulas realizadas todas as sextas-feiras.
Além dos coralistas, estiveram presentes Helmuth Alfonso Kirinus (o professor Mutti) e Luci da Costa Kirinus (Nena), ambos representando a Escola de Música Tocando em Frente, idealizadora do Projeto que deu origem ao Coral. O “Vozes da Babitonga” é patrocinado pelo Porto Itapoá, que esteve representado neste primeiro ensaio de 2016 por Patrícia Dall Onder, Analista de Sustentabilidade do Terminal Portuário.
Tão logo os novos integrantes foram apresentados ao grupo, o maestro Rafael Daniel Huch deu início ao aquecimento vocal. Ele detalhou aos seus novos alunos, relembrando aos antigos, como é o funcionamento de um Coral. “Para trabalhar em coro, classificamos a voz em masculinas e femininas. No coral, temos as vozes femininas como sopranos (mulheres com voz aguda) e contraltos (mulheres com voz grave). As vozes masculinas são os tenores (homens com voz aguda) e baixos (homens com voz mais grave)”, explicou.
Após o ensaio de algumas canções novas, ao final da aula, foram anunciadas duas datas previstas para as próximas apresentações do Coral Vozes da Babitonga: 28 de maio e 24 de junho. Os locais ainda não foram definidos, mas devem ser divulgados em breve.


Sobre o Coral Vozes da Babitonga

                Quem explica esse Coral itapoaense é o próprio maestro Rafael Daniel Huch. “O Projeto de Formação Musical através do Canto Coral, que deu origem ao Coral Vozes da Babitonga, foi aprovado pela Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, e tem o patrocínio do Porto Itapoá, bem como o apoio da Prefeitura local, que cede a Casa da Cultura para os ensaios”, conta.
                O maestro também comenta o funcionamento de um Coral. “A voz humana é o primeiro instrumento musical que todos temos acesso e é por essa via que resolvemos desenvolver nosso projeto; através da voz e do canto, realizar uma formação musical, que é complementada com exercícios de técnica vocal e aulas de linguagem (teoria musical). A voz humana é fantástica, e cada uma tem sua particularidade. No coral, todas as vozes têm a mesma importância, pois o ‘som’ do coro só é possível com todas essas vozes soando simultaneamente”, conclui Rafael Daniel Huch.

--
Thiago Gusso
Jornalista
Assessor de Imprensa

Coral Vozes da Babitonga

1ª Runfolia da ACORI - Itapoá SC




Restam poucos dias para interessados se inscreverem na 1ª Runfolia da Acori

No próximo dia 06 de março, a partir das 08h00min, será realizada a “1ª Runfolia da Acori (Associação de Corredores de Itapoá)”. Trata-se de uma corrida de rua, que ocorrerá nas modalidades de 5 e 10 km.
As inscrições, limitadas a 500, devem ser realizadas no site Ticket Agora, (www.ticketagora.com.br) até as 24h00min da próxima quinta-feira, dia 25 de fevereiro. Não haverá inscrição após inspirado o prazo do site, tampouco no dia da prova. O valor é de R$ 50 + taxas de encargos e há o desconto de 50% para pessoas com mais de 60 anos de idade. Até mesmo as pessoas que não pretendem correr, mas queiram caminhar ou, simplesmente, apoiar e colaborar com a iniciativa da Associação de Corredores de Itapoá, podem fazer a inscrição, contribuindo com o valor da mesma e levando uma camiseta do evento como recordação.
Os kits para os inscritos serão entregues um dia antes da prova, em 05 de março, das 14h00min às 22h00min, na Sorveteria Mr. Ice. No mesmo dia e local, das 14h00min às 20h00min, os inscritos interessados poderão fazer o exame de Análise da Composição Corporal, oferecido pelo Laboratório Ghanem. A Sorveteria fica na avenida André Rodrigues de Freitas, nº 1.173, em Itapema do Norte, próximo ao semáforo (único de Itapoá). Mais informações a respeito da entrega dos kits e/ou exame oferecido podem ser obtidas juntamente com Carlos Coelho, presidente da Acori, pelo telefone (47) 9932-4012.
No domingo, 06 de março, dia da corrida, será realizado o exame de glicoteste para os atletas interessados. Eles ocorrerão em local próximo à largada do evento. Os kits de participação também estarão sendo entregues no domingo do evento, mas somente das 06h30min às 07h30min.
Durante toda a manhã deste dia de Runfolia, a Avenida Beira Mar III (rua do calçadão beira mar), em Itapema do Norte, ficará interrompida para veículos, de forma que todas as pessoas poderão aproveitar o espaço para passear, levar os filhos brincarem, entre outras atividades.
Em breve, será divulgada a programação completa do dia do evento.


Sobre a corrida

Tanto a largada quanto a chegada da Runfolia ocorrerão na Pista de Skate de Itapoá, localizada na Avenida Beira Mar III, no balneário de Itapema do Norte. O percurso é o mesmo para as duas modalidades em disputa (5 e 10 km), alterando apenas o número de voltas, que podem ser uma ou duas.
A prova será realizada nos naipes masculino e feminino e por categorias distribuídas em faixas etárias, de acordo com o ano de nascimento do atleta. A idade mínima é a de 16 anos de idade completos até o dia da prova. Para os primeiros classificados no geral e em cada categoria, haverá a entrega de troféus (tanto na corrida de 5 quanto de 10 km).
Mais informações podem ser obtidas diretamente com os responsáveis da Acori, pelos telefones (47) 9932-4012 (Carlos Coelho), (47) 9923-5300 (Alan Rezende) e (47) 9969-6903 (Oneide Urso).


--
Thiago Gusso
Jornalista
Assessor de Imprensa

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

POESIAS PARA UM GRANDE AMOR - Editora InVerso

Olá!
No site da Editora InVerso você poderá
adquirir o livro de minha autoria
POESIAS PARA UM GRANDE AMOR

http://www.editorainverso.com.br/produto/poesias-para-um-grande-amor/


sábado, 13 de fevereiro de 2016

Roberto Nicolato em "Do outro lado da rua"

Roberto Nicolato
Crédito fotográfico: André Rodrigues


Nicolato lança no Wonka Bar
o romance Do outro lado da rua

O jornalista e professor Roberto Nicolato lança no próximo dia 17/02 (quarta-feira) o seu segundo romance, Do outro lado da rua (Kotter Editorial), a partir das 21h, no Wonka Bar, em Curitiba. 
A obra é inspirada no conto "Uma vela para Dario", do escritor paranaense Dalton Trevisan, e tem como cenário a Curitiba dos anos 50 e da atualidade.

Do outro lado da rua conta a história de Otaviano, um funcionário público aposentado que vive em companhia da empregada e de um  gato, no centro da capital paranaense. Sem conseguir movimentar parte do corpo e preso a uma cadeira de rodas, ele contrata um digitador e, assim, tenta produzir a sua primeira obra de ficção. A história tem como ponto de partida a misteriosa morte de um forasteiro na Curitiba da década de 50 e irá mobilizar diferentes narrativas e modos de contá-la.

O segundo romance do escritor mineiro, radicado em Curitiba, revela em dois tempos narrativos contrastes da vida curitibana e as memórias vivenciadas pelo protagonista, um sujeito atormentado por um antigo sentimento de culpa. "Não tive a intenção de escrever um romance histórico ou policial, mas propor uma narrativa psicológica sobre a glamourosa Curitiba do passado e refletir sobre as relações humanas e os males nos atordoam", observa Nicolato.

Roberto Nicolato é jornalista e professor universitário. Radicado em Curitiba há quase 30 anos, nasceu em 1960 em Sant'Ana do Campestre, na região da Zona da Mata mineira. Do outro lado da rua é o segundo livro de ficção do escritor, após lançar, em 2013, o romance intitulado A caminhada ou O homem sem passado. Atuou em diferentes veículos de comunicação. É mestre e doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Trecho do livro

“O que importava é que contratando aquele rapaz estava sendo possível escrever a história do alienígena, do Ulysses moderno que viveu algum tempo naquela Curitiba de não mais, e também o como ele virou objeto de desejo dos maridos vouyers, das damas, das donzelas, das desafamadas e dos jornalistas. Não havia quem não soubesse, quem não tivesse acesso a ao menos um pequeno fragmento de prosa, nas mais das vezes fantasiosa, em conversas de bares, cafés e nos clubes requintados, sobre aquele lídimo Don Juan. Isso contribuiu para ajudar a criar o mito do homem que muitos julgavam conhecer, mas que pouco dele sabiam”.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

VEGAMO-NOS

Olá!
A alimentação saudável vegana tem infinitas possibilidades de cocções.
Sempre que possível use produtos orgânicos que além de mais saudáveis 
são muito mais deliciosos.

Para as saladas use azeite extra-virgem. Crie vinagretes e saboreie a vida.

Carne de soja na moranga com batatas e cogumelos paris.


Salada de ervilhas e brocolis


Tofu com abóbora e cenoura


Salada de beterraba


Salada de verdes nobres, pepino e mirtilo


Salada de alface, beterraba, cenoura, pepino e tomate cereja


Grão de bico com damasco


Noque de batata com molho de tomate e cenoura



Salada de alface, tomate, beterraba e uva


Salada Gourmet

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

O que acontece por aí - Lançamento do Livro de Daniel Conrade


Lançamento do livro de Daniel Conrade junto a 
aldeia guarani-mbya de Guaraqueçaba, 
a aldeia Kuaray Guata Porã (Caminho Bonito do Sol), 
que irá se realizar no Museu Paranaense, 
dia 04 de fevereiro, às 19 horas.

O livro traz um registro do processo de criação da escultura guarani-mbya da aldeia Kuaray Guata Porã (Caminho Bonito do Sol), do município de Guaraqueçaba / PR. Aborda todas as etapas de produção, desde a coleta da madeira caixeta e demais materiais ofertados pela natureza até a sua conclusão. Trata-se de um registro completo da confecção, mostrando os detalhes e ferramentas usadas na criação escultórica, oriunda da tradição oral guarani que atravessa os séculos. 

O livro não retrata somente o registro, mas tece uma relação das visões de mundo e das artes indígenas com a arte contemporânea, apontando onde elas se encontram e dialogam plenamente e onde seguem por caminhos diferentes.

Para tanto, Daniel Conrade – escritor e ilustrador de natureza há 16 anos – utilizou na criação das ilustrações técnicas totalmente manuais como aquarela, bico de pena em nanquim e lápis sanguínea. O resultado remete propositalmente a uma linguagem de literatura de viagem que aborda principalmente a poética guarani. Mostra não somente um registro físico, mas a relação desta aldeia e de seus moradores com a natureza, seus deuses, suas crenças e a forma como essas crenças estão enraizadas em sua produção artística.

O projeto, realizado através da Lei Rouanet, é fruto do apoio e patrocínio do Ministério da Cultura - Governo Federal, Secretaria de Estado da Cultura com seu programa Conta Cultura e da COPEL - Companhia Paranaense de Energia. A publicação conta com o marketing cultural do Cultural Office, texto de Fabrício Vaz Nunes (artista plástico, professor de História da Arte na EMBAP - Escola de Música e Belas Artes do Paraná e colunista da Gazeta do Povo), fotografia de Hudson Garcia (um dos grandes nomes da fotografia de natureza do Paraná) e belíssimo projeto gráfico de Guilherme Zamoner.

Ficha Técnica:

Elaboração do Projeto: Monica Drummond
Marketing Cultural: Cultural Office
Texto: Daniel Conrade e Fabrício Vaz Nunes
Ilustrações e Desenhos: Daniel Conrade
Fotografias: Daniel Conrade e Hudson Garcia
Revisão de Texto: Michele Mueller
Versão para o Inglês: Michele Mueller
Projeto Gráfico: Guilherme Zamoner
Impressão: Maxi Gráfica.
Livro: 144 páginas, 25x25 cm.

Lançamento:
Dia 04 de fevereiro de 2016, a partir das 19h00, no Museu Paranaense.
Rua Kellers, 289 - Alto São Francisco, Curitiba, Paraná
Valor promocional do livro no dia do lançamento: R$ 50,00*

*Após o lançamento, o livro poderá ser adquirido pelo e-mail danielconrade@gmail.com a R$ 65,00 por depósito bancário e o envio poderá ser feito via Correios.